• UM CONCEITO

CRIOLO - Sobre Viver

“Sobre Viver” nasce com a amplidão de um clássico. Não por ser um álbum que remeta a tempos passados e estabelecidos, onde habitam todos os clássicos que conhecemos. Menos ainda por mirar a eternidade do futuro, do que será. Não. “Sobre Viver” nasce com essa dimensão de perenidade justamente por ser um retrato do autor e do mundo que o rodeia ostensivamente amarrado ao presente, ao hoje, ao já. Logo em uma primeira audição, é possível identificar o novo álbum de Criolo como o terceiro capítulo da trilogia aberta no - esse sim - já clássico “Nó na Orelha” (2011) e seguida no posterior “Convoque Seu Buda” (2014).



Tão grandioso quanto seus antecessores, “Sobre Viver” chega às plataformas de música em 5 de maio com o mesmo dom para fazer pontes, estabelecer encontros e propor diálogos entre o universo do rap e tantas outras quebradas da música do Brasil e do mundo. Abraça tanto o Cabo Verde de Mayra Andrade quanto as Minas Gerais de Milton Nascimento, tanto a nobreza erudita do maestro Jaques Morelenbaum quanto a potência do ultra talentoso MC Hariel, a intensidade da diva soul Liniker e o equilíbrio da poeta Maria Vilani, mãe de Criolo. O rap é o princípio de tudo e é ele quem dá a caneta nas dez canções do álbum, mas o som e a musicalidade se desdobram em múltiplas referências, seguindo a vocação dos trabalhos que colocaram Criolo no centro do mapa da música brasileira produzida neste século.

4 visualizações0 comentário