• UM CONCEITO

“Hoje sei separar muito bem minha vida profissional da minha vida pessoal”.

Com estilo e elegância incomparáveis, a influenciadora ainda falou sobre empreendedorismo, beleza e moda no episódio mais recente do podcast Sala de Espera, disponível no YouTube.



No último fim de semana foi ao ar mais um episódio do podcast Sala de Espera: Lala Rudge foi a convidada da vez, nesta que foi sua primeira participação em um podcast. A empresária e influenciadora digital participou de um episódio especial e repleto de trocas sinceras sobre empreendedorismo, moda, beleza e vida pessoal. Apresentado pelo dermatologista Daniel Dziabas e pelo personal stylist Yan Acioli, o programa no YouTube já recebeu nomes como Preta Gil, Sérgio Marone, Manu Gavassi, Gkay, Gabriela Prioli, Pequena Lô, Juliana Paes e Mariana Rios.



Uma das pioneiras entre as influencers de moda, Lala começou sua carreira na internet através de um blog onde compartilhava sua rotina, looks do dia e dicas valiosas. Com o passar dos anos, a musa fashion viu um crescente número de comentários em sua página e foi então que percebeu que poderia rentabilizar suas postagens. “Eu nunca fiz pensando em uma coisa comercial. Eu me lembro que um dia meu primeiro anunciante me ligou, depois de um tempo, e eu tomei um susto, eu nunca tinha pensado em comercializar o blog. Foi aí que eu chamei minha irmã para virar minha sócia”, disse durante a entrevista.

Lala, que trabalha muito com suas redes sociais, falou sobre a importância de qualquer profissional estar presente nos meios digitais. “Hoje em dia, se você não tem rede social, você não existe, e é em qualquer profissão. Hoje em dia todo mundo é um pouco influencer, todo mundo é um pouco blogueiro. Tudo mudou muito para todas as profissões”, explicou.

A empreendedora falou também sobre como viu um gap no mercado e utilizou isso para criar, em 2012, a La Rouge Belle, sua marca de lingeries. “Eu achava que faltava uma marca jovem, cool, que acompanhasse as tendências da moda, sexy, de pijama e de lingerie. Eu não achava isso no Brasil”. Sobre crescimento do negócio, a empresária conta que, durante a pandemia, o comportamento de consumo mudou e sua marca acompanhou o desejo das clientes naquele momento, cada vez mais adeptas ao homewear. “O e-commerce da La Rouge cresceu quase 400%, é uma coisa muito surreal. Eu postava muito, é aquela questão da naturalidade, estava em casa de home office e usava muito plush, moletons, camisolas”, pontuou.


A influenciadora explicou ainda sobre a importância de separar a carreira da vida pessoal. “Hoje eu sei separar muito bem a minha vida profissional da minha vida pessoal. Por exemplo, optei por não postar o meu casamento e recebi cobranças... A minha vida pessoal não é minha vida profissional, as coisas se misturam muito. Minha maior dificuldade foi separar essas duas coisas, e hoje eu consigo, hoje eu sei o que eu quero expor e o que eu não quero expor. Minha privacidade é muito importante, até porque eu convivo com pessoas que não querem essa exposição. Eu sou uma pessoa pública, mas não é por causa disso que eu preciso expor as pessoas que estão comigo”, disse.


Sobre beleza, Lala contou que é uma grande adepta do skincare e que prioriza um envelhecimento natural. “Eu acho que é um combo, você fazer os procedimentos estéticos, mas você tratar em casa. Os dois isolados não funcionam. Mas tem coisas que só um laser resolve, algum procedimento. Eu sou super adepta, eu acho que o principal é você encontrar um dermatologista com um bom senso estético que você confie, porque hoje em dia eu vejo muitos exageros.”, ressaltou.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo